Todas as mensagens
Link Evento tiras premios desenho quadrinhos


Blog dos Quadrinhos
Omelete
Universo HQ
Gibizada


MANUAL DO MINOTAURO
Laerte
KAKOFONIA
GRAMPÁ
Rafa Coutinho
Gustavo Duarte
Rafael Albuquerque
Edu Medeiros
Braga
Danilo Beyruth
Níquel Náusea
Guilherme.TV
Samuel Casal
Kitagawa
Rodrigo Rosa
Fabio Cobiaco
Allan Sieber
Vida Besta
Candyland Comics
Quanta Academia de Artes

Histórico

O retorno do GIRASSOL E A LUA

No último sábado, tivemos uma sessão de autógrafos na Livraria Martins Fontes para marcar o lançamento da nova edição de “O Girassol e a Lua” no Social Comics. Vejam bem: “O Girassol e a Lua” é a nossa primeira grande história, produzida em 7 capítulos no fanzine 10 Pãezinhos em 1997 e posteriormente publicada em álbum em 2000 pela editora Via Lettera. O fanzine tinha uma tiragem de 200 cópias, a edição da Via Lettera teve mais 2000 cópias (4000, se contarmos uma segunda edição que saiu em 2007). Esse livro está esgotado há anos. Muitos dos nossos leitores atuais, que conheceram nosso trabalho por obras mais recentes como “Umbrella Academy” (2009), “Daytripper” (2011), “Dois Irmãos” (2015) ou pela tira “Quase Nada” (2008-2016) nunca viram essa história. Sendo bem honesto, muitos dos nossos leitores nunca viram nenhum dos nossos primeiros trabalhos, cinco livros dos “10 Pãezinhos”, publicados entre 2000 e 2007, todos esgotados.

 

20 anos de 10 Pãezinhos

 

Uma das alegrias da nossa carreira é ver leitores que descobriram nosso trabalho recentemente buscarem obras mais antigas. É um sinal de uma construção da figura do autor bem sucedida, onde o leitor quer acompanhar o autor e todas suas obras, ao contrário do leitor que acompanha personagens, ícones, independente de quem trabalhe na história. Uma relação que sempre buscamos, espelhada no que víamos na literatura, onde escritores tinham vários livros diferentes, com histórias fechadas. São vinte anos construindo essa relação com o leitor, mas ela só estará realmente completa se os novos leitores tiverem acesso à toda obra, das primeiras histórias às mais recentes.

 

 A demanda por uma nova edição de todos os livros dos “10 Pãezinhos” vem crescendo há algum tempo, nos cercando por todos os lados. Leitores que ouviram falar desses trabalhos nos questionam sobre eles e como encontrá-los. Editoras se interessam em publicar novas edições. Nós mesmos ficamos angustiados com o fato destes livros não estarem disponíveis, ao alcance de novos leitores. Claro que não são tão bons quanto nossos últimos lançamentos. São trabalhos antigos, mas mostram a evolução da nossa carreira, os passos importantes que demos ao longo dos anos, e nós vemos um valor muito grande nisso, nessa trajetória, no fato incontestável de que ninguém nasce pronto, que sempre podemos melhorar e evoluir e, principalmente, que tudo isso leva tempo pra acontecer. Temos muito orgulho de todos nossos livros justamente por serem esse retrato de cada momento da nossa carreira.

 

2017 marca o aniversário de 20 anos dos 10 Pãezinhos e decidimos que era a hora de finalmente relançar todos estes livros. Três editoras queriam relançar esse material numa edição única, de luxo, um “10 Pãezinhos ABSOLUTE”, por assim dizer. Resolveria a questão de ter todas as histórias publicadas, mas acabaria sendo uma edição cara, acessível para poucos, os já iniciados, os leitores tradicionais de Quadrinhos que gastariam R$100 ou mais numa HQ. Uma edição que agradaria os fãs, mas não seria para todo mundo, e isso não nos interessava tanto. Nos agrada mais a ideia de uma nova edição para cada livro, mas nenhuma editora publicaria 5 livros no mesmo ano, seja ao mesmo tempo ou ao longo do ano, e ainda se o fizesse não conseguiria trabalhar bem todos esses livros. Depois de todos estes anos, publicar por publicar não nos interessa mais. Ter um livro perdido nas estantes das livrarias, com 2000 cópias distribuídas pelos mesmos e poucos pontos do Brasil, sem boa divulgação e sem destaque seria um desperdício.

 

Se uma nova edição física não atingiria a quantidade de leitores que gostaríamos, por um preço que fosse acessível a mais gente, quem sabe edições digitais pudessem cumprir essa função. Foi então que decidimos apostar no Social Comics. Os Quadrinhos digitais evoluíram muito. Não me refiro aos truques e efeitos, mas às plataformas de leitura. Nunca colocamos nossas histórias na internet, pois não achávamos que era uma boa plataforma de leitura, com interfaces que atrapalhavam, resolução de imagem baixa. E experiência de leitura era muito ruim. Hoje em dia, no entanto, quase todo mundo tem acesso a um e-reader, tablet ou smartphone que permitem uma leitura agradável e intuitiva de Quadrinhos. Se você unir o alcance que a internet possibilita ao preço de assinatura de R$20, você tem uma ferramenta incrível para distribuir sua HQ. Por esse preço, o leitor tem acesso a centenas de títulos, talvez milhares, e a tendência é só aumentar. Vários Quadrinistas independentes já adotaram a plataforma e colocaram suas revistas lá. Revistas que têm edições físicas, com tiragens de 1000 a 2000 cópias, vendidas somente pelas mãos do autor em eventos ou lojas especializadas, conseguem atingir um público completamente novo através do Social Comics. Editoras também têm colocado seu acervo na plataforma. É uma infinidade de obras, tudo por R$20 por mês.

 

Lançamos “O Girassol e a Lua” no Social Comics durante a CCXP Tour em Recife mês passado e anunciamos nossa parceria para lançar todos os 10 Pãezinhos na plataforma ao longo do ano. Durante o painel falando do assunto, conversamos com o público sobre publicar digitalmente também várias histórias curtas que fizemos para antologias, todas esgotadas. As possibilidades não se resumem somente aos livros dos 10 Pãezinhos, não têm limitações de tamanhos ou custo que uma edição impressa tem. Dentro do nosso “selo”, ao longo do tempo, podemos colocar todas histórias curtas que já produzimos. Mas primeiro vamos construir essa nova relação com os leitores e com a plataforma lançando os 5 livros dos 10 Pãezinhos este ano.

 

Voltando ao último sábado na livraria, confesso que ficamos aflitos com uma sessão de autógrafos sem um lançamento físico, sem uma obra nova, um evento cujo propósito era comemorar 20 anos de carreira e que apostava simplesmente na vontade dos leitores de comparecerem em busca de um autógrafo. Depois de todos esses anos, ainda me surpreendo com eventos cheios e sábado nos trouxe outra boa surpresa. Autografamos livros por 3 horas, sem parar. As obras mais frequentes eram, naturalmente, as mais recentes  – Daytripper, Dois Irmãos, Umbrella Academy e Casanova – mas apareceram duas edições do Girassol e a Lua, e algumas poucas das outras publicações. Todo mundo ganhava um pôster do Girassol e a Lua autografado e muitos perguntavam: “Esse é o seu último trabalho?” A surpresa era geral quando dizíamos que era a nossa primeira história longa. Numa rápida analisada da pessoa na minha frente, eu arriscava perguntar quantos anos ela tinha e emendava que fizemos aquela história há 20 anos, antes do nascimento de alguns dos leitores presentes. Muitos também não conheciam o Social Comics, mas alguns poucos já tinham lido nosso livro na plataforma. Usamos nossas habilidade de vendedor tentando convencer as pessoas a tentarem a plataforma, que oferece 14 dias de graça para as pessoas experimentarem o serviço.

 

Muita gente não conhece o início da nossa carreira. Muita gente não conhece nem metade dela. Muitos só leram um livro, muitos outros só leram as tiras. Essa é a realidade de todo Quadrinista nacional. Por mais que o mercado nacional de Quadrinhos tenha melhorado, ele ainda é muito frágil. Poucas obras se destacam, quase nenhuma se consolida e continua presente nas prateleiras. Os autores independentes estão produzindo cada vez mais, mas não conseguem manter todas suas publicações disponíveis e seu alcance se limita aos leitores já iniciados, frequentadores de convenções ou apoiadores das campanhas de financiamento coletivo. Essa longevidade e disponibilidade que o Social Comics oferece podem afetar dramaticamente a abrangência do Quadrinho Nacional. Para isso, é preciso que mais autores e editoras abracem a plataforma, coloquem suas obras lá, e também que mais leitores assinem o serviço, leiam mais obras, descobrindo trabalhos diferentes. Se os assinantes lerem somente Turma da Mônica e Disney, os mesmos gibis que eles já encontram nas bancas, o serviço não vai funcionar.

 

Nossa grande preocupação sempre foi contar histórias que sobrevivessem ao tempo e pudessem ser descobertas a qualquer momento. Eu também adoro o livro como objeto, adoro o ato de virar a página e a relação de leitura que o livro apresenta, mas as edições físicas estão à mercê de limitações geográficas e monetárias que o nosso mercado apresenta. Se uma edição digital puder levar a minha história pra mais gente, ir mais longe, quem sabe ela ajude a tornar uma edição física possível. Essa é nossa aposta de hoje, mas só o tempo dirá.




Escrito por Gabriel Bá às 13h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


20 anos de 10 Pãezinhos na Livraria Martins Fontes

Neste sábado, 06 de Maio, estaremos na Livraria Martins Fontes, na Av. Paulista, a partir das 15h, para comemorar os 20 anos de 10 Pãezinhos e nossa parceria com o Social Comics, plataforma de leitura de Quadrinhos digitais, onde vamos colocar todos nossos livros que estão há anos fora de catálogo, com nossas primeiras histórias, os dez primeiros anos da nossa carreira.


Venha conversar conosco sobre as possibilidades dessa nova plataforma e a ampla diversidade de trabalhos que você pode descobrir nela, refletindo a variedade do mercado nacional de Quadrinhos. Como é um lançamento “virtual”, teremos um pôster lindão pra dar para o público presente, e vamos assinar os livros que vocês trouxerem também.
Nos vemos lá.



Escrito por Gabriel Bá às 14h38
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]